segunda-feira, 15 de abril de 2013

Primeiros escritos de um homem, IV



Quanto tempo a gente joga fora quando gosta de uma garota? Sim senhores, falo daquele tempinho que você chuta pra escanteio todos os seus amigos só pra ficar em casa esperando ela te ligar pra dizer que vocês não vão poder se ver de novo.
Esse tempinho é que não vai existir mais na minha vida. Simples, quando você chora abraçado com umas das piores inimigas da sua namorada (eu diria a 2° no ranking, e olha que as mulheres tem muitas inimigas), ao som de epitáfio num show do titãs (não me julguem por chorar num show, também chorei no do Metallica), você vê o quanto é bom fazer papel de ridículo saindo com os amigos, as vezes. Meus tios adoraram a Maitê. Falaram dela a semana toda e me ligaram pra perguntar como ela estava.
Portanto, eu namoro a Natalia mas, saímos eu e meus amigos, que eram basicamente Maitê, Leandro, Paula e outras garotas da sala de Maitê (os nomes eram Jéssica e Carol), também tinha contato com outros amigos do Leandro (Jefferson e Julio) enfim, saímos nós, eu e meus amigos. 
A construção de amizade com a Maitê foi algo bem engraçado. Primeiro você fala com a pessoa, depois ela compartilha gostos, depois vocês choram juntos num show e quando percebem já estão trocando abraços. Pode parecer clichê um nerd sem amigos, mas acho que eu era quase isso, antes deles. Não me lembro de ter abraçado outra pessoa a não ser Natalia e algumas garotas que eu levei pra cama. Agora eu entendo porque tantos garotos querem uma amizade feminina, sabe... mulheres tem um cheiro de fruta no pescoço, no caso da Maitê é cereja. As vezes tá meio frutas vermelhas em geral, mas a maior parte das vezes, é cereja. Paula também era uma garota legal. Conversávamos mais quando Leandro não estava por perto, porque os dois eram um grude danado, e viviam se pegando na minha frente(blé). Mas ela era inteligente, dava pra sacar porque Leandro e ela eram tão grudados.
Ah, a Natalia não descobriu, do show. Mas agora ela me vê falando com a Maitê e com a Paula, e deu uns barraquinhos no inicio, mas acabou aceitando. Sabe, ela tem medo que eu termine com ela. Quando eu falo em terminar ela fica apavorada, e as vezes eu até provoco para ver a cara de pânico que ela faz, assim me sinto mais amado. Deus me perdoe por isso. Esses dias a Natalia saiu pra beber e eu decidi ir até a casa da Maitê, a galera tava lá jogando vídeo game. Foi então que eu descobri o segundo defeito da moça: Além de mal encarada e respondona, a bichinha era totalmente desorganizada. A apartamento dela era uma zona, a pessoa vai e te fala "não repara a bagunça" e quando você entra não dá pra NÃO reparar.
Mas era uma bagunça até que amigável. Tudo cheirava a mulher que acabou de sair do banho (e cereja), tinha sapatos jogados pela cozinha e pela sala, estojinhos de maquiagem em cima da mesa de jantar e milhares de coisinhas pra prender o cabelo (não sei como se chamam) jogados no chão.
- Faz tempo que você não organiza isso aqui né? - eu perguntei
- É, um tempinho. Para de ser mal educado!- ela riu - tá infeliz, me ajuda arrumar então.
- Ok. Vamos fazer isso agora - e fizemos.

Depois da amizade com Maitê, Paula e Leandro, incrivelmente eu e Natalia começamos a nos dar melhor. Eu enchia menos o saco dela em relação a sair com os amigos, afinal agora eu tinha amigos para sair também. E também perdi um pouco dos ciumes (a maior parte dos homens não admitem o ciúme, eu sim).
- Você pretende se casar? - Maitê disse para mim, um dia desses. Eu quase cuspi o refrigerante que estava bebendo. Ela e suas perguntas que me deixam constrangido.
- Ué... terminar eu não pretendo, né? - eu respondi - bom, se você namora, não é para terminar, então talvez... 
- Para de enrolar, Junior - ela começou a rir. Aquela garota tinha uma risada gostosa, sabia? - Você ama, qual o problema de dizer que sim?
- Há, sei lá Maitê, mas que pergunta! - eu disse - a Natalia é legal,  me tem nas mãos dela, eu sei disso, eu gosto bastante dela, ela é segura, olha só o que ela faz comigo.- gaguejei, depois percebi que faltou virgula e que não tinha muito sentido, o que eu disse.
- Cara, sua namorada pode ser tudo, menos segura - ela disse, com calma - Ela enche a cara, fuma, tem um bocado de vícios porque ela é insegura demais, isso sim. Bom, meu gosto para o amor é diferente do seu. Eu gosto de damas, de cavalheiros, sou brega. 
- Hm, que princesinha você é - ironizei - mas você está certa. A Natalia não é segura, ela é frágil. E eu me sinto no dever de cuidar dela, fazer o que?
- Acho legal o amor que você tem por ela. Acho lindo! Bom, se ela está sabendo aproveitar os seus cuidados, não tem problema nenhum. - ela respondeu, em tom de bronca - só não vá perder a vida toda com uma pessoa que não quer melhorar, ein - por fim, ela terminou a discussão.
Ontem aconteceu uma coisa engraçada. Paula, Leandro, Maitê e eu íamos no cinema, com outros amigos. Mas a Natália me ligou 15 minutos antes de sair e me chamou pra ir no ap dela. Aquele momento que o ratinho que está rodando na rodinha do seu cérebro para de brincar e te olha freneticamente pra saber o que você vai responder e... desisti do AP e as felicidades momentâneas (muitas felicidades momentâneas  e fui ao cinema com eles. O filme era muito bom, e eu sabia que depois de me usar a Natalia ia me dispensar feito um cachorrinho, após o sexo. Eu estava tentando me libertar disso, sabe, sair com os amigos. Passar mais tempo com o Leandro e com a Paula me fez ver que existem relacionamentos legais, e que talvez o meu precisasse de um gelo da minha parte. Vamos ver no que vai dar.
Nota da blogueira:
Sei que prometi que seriam todas as terças, mas são sempre as mesmas pessoas que leem e eu to meio sem inspiração pra postar hoje. Então, divirtam-se.

13 comentários:

  1. Até que fim esse menino ta se libertando,só falta perceber que gosta da maitê
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Ah, que bom ver que ele está começando a se importar mais com ele e com os amigos que com esse relacionamento. Na verdade, só ele parece se importar com o relacionamento né? Ela, na verdade, só se importa quando lhe convém!

    Li todas as partes anteriores! Está ótimo! Adorei seu jeito de escrever, imaginei mesmo um cara falando! heruhesurhsuerh

    Um beijo

    @karlinhakv
    www.fizdecanetinha.com

    ResponderExcluir
  3. Estou meio perdidinha kkkk vou ler as outras partes, para entender melhor :D
    Beijinhos
    Facebook do blog
    conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Menina, que texto bom de ler, prende e nos apega aos personagens de fato. Não li as outras partes, mas vou começar a ler agora! Mas já gostei muito. Na nossa vida precisamos de fato dividir um tempo pra nossas relações.

    Blog: O silêncio não existe
    FanPage: www.facebook.com.br/osilencionaoexiste
    Beijos, Lenise

    ResponderExcluir
  5. Pois é, acho que estamos na mesma situação. Não sei se as pessoas têm preguiça de ler ou se simplesmente não se interessam, mas também tô bem se estímulo de continuar a Wevsérie do Hipérboles. Mas, se quiser saber, está muito boa a sua, deveria continuar! Eu tô gostando bastante e me apegando as personagens.
    Beijinhos


    Hipérboles
    @hiperbolismos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah, também to apegada a Nine :( não faz isso :(

      Excluir
  6. Eu nem sei mais o que comentar dessa história. Às vezes perco a paciência com o protagonista, às vezes acho que ele é fofo ;~
    Vai entender?

    ResponderExcluir
  7. AUAHUAahauha.. Se faz alguma diferença, eu estou lendo na terça!rsrsrs

    Srt. Vou concordar com po comentário aqui de cima... o Jr. às vezes me encanta, mas às vezes me da raiva, tipo pensar que ele deve proteger a Nat... até agora ela não demostrou nada de carinho por ele. Ou briga, fingindo um ciuminho, ou ta no bar, sei lá! e ele vem dizer que deve cuidar dela? Olha! Maitê na veia! rsrsrs...

    Bjinhos
    Ju
    asbesteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. A história tá muito boa mas ele é muito confuso haha A Ju disse tudo aí em cima! Primeira vez aqui mas já vou voltar sempre!

    Amei seu blog! Já tô seguindo! Ah, e obrigada pela visita!

    Beijão

    http://umagarotaeseujeans.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Hum...adorei a historinha! Vou conferir as outras partes!^^
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
  10. Aaai, ele devia terminar logo com a Natália, sou radical u-u
    Mas desse jeito a história tá mais gostosa! hahaha Tá mexendo comigo - leitora - demais!
    Team Maitê õ/

    beijooo

    ResponderExcluir
  11. *não sei se o último comentário foi, por isso estou mandando novamente*

    Eu amei esse capítulo!!!
    Era a reviravolta que eu queria, mas me surpreendi! O Junior, dispensando a Natália para sair com a Maitê e os amigos? HAHAHAHAHAHA, isso aí!!

    Aliás, tem outra coisa que eu provavelmente ainda não te disse, mas é: eu adoro teu jeito de escrever como homem. É tão real e displicente!

    Beijo, Mona!!

    ResponderExcluir

Não gaste teclado: SE NÃO LEU, NÃO COMENTE. Também não tente me enganar: Eu percebo quando a pessoa não leu nada. (Aliás, tem gente que não lê nem isso aqui).